Liderança online

1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Média 4.50 (1 voto)

As fronteiras estão menos nítidas no mundo e isto tem uma repercussão enorme para a liderança. A tecnologia foi abraçada pelo cotidiano do trabalho. Estar à distância tem suas vantagens em relação a estar presente, mas estar presente também não perdeu seu charme. A face-a-face convive com outras formas de relacionamento interpessoal. Todas essas são transformações que repercutem diretamente na liderança e na forma como ela ocorrerá no dia-a-dia das empresas e instituições. Cada vez mais, as empresas têm se voltado para um outro tipo de liderança: a online.

Tradicionalmente, a ideia de liderança foi pensada a partir de algumas características comuns, tais como: a) a interação num espaço relativamente pequeno entre o líder e as demais pessoas; b) as relações travadas principalmente face-a-face; c) a pouca incorporação da tecnologia; d) a necessidade de um relacionamento duradouro para a liderança eficaz.

Atualmente, observa-se que as organizações têm passado por inúmeras mudanças. A internacionalização, a informatização e a ampliação das interações de trabalho fomentadas pela Internet fizeram com que esta ideia tradicional de liderança recebesse uma forte releitura. Indo além, para ser um líder bem-sucedido neste cenário fortemente dinâmico, torna-se cada vez mais importante estar atento às novas formas e estratégias de liderança e de adequar a elas. A velha equipe de trabalho reclusa num determinado espaço deu espaço para equipes intersetoriais distribuídas em diversos lugares do país e, até mesmo, do mundo!

O fato é que existem alguns fatores imprescindíveis para pensar esta liderança online.  Por exemplo, ela não existe sem tecnologia. E, quanto mais sofisticada for a tecnologia, maior é a possibilidade de “tornar presente quem está ausente”, isto é, de fazer com que pessoas separadas por quilômetros de distância possam interagir como se estivessem no mesmíssimo lugar.

Um outro fator é a necessidade de se utilizar de forma inteligente esta tecnologia. Email, skype, intranet, facebook, twitter, facetime, viber, etc, certamente podem ser instrumentos potenciais a serviço da liderança online, mas também podem ajudar tanto quanto o velho sinal de fumaça. Caso esta tecnologia não seja usada com inteligência, pouco poderá contribuir para que a liderança seja efetiva. Afinal, a utilização exclusiva de emails e chats está longe de ser algo original em pleno ano de 2013!

Outro fator que merece destaque é que os processos comunicativos estão radicalmente mais rápidos. Com o boom de smartphones, tablets e supermáquinas, tem sido cada vez mais instantâneo o relacionamento interpessoal à distância. Há dez anos atrás, responder um email em 10 horas era sinal de eficiência. Hoje você não pode demorar muito tempo!

Por fim, um desafio importante da liderança online é a motivação das equipes. Por mais que as pessoas estejam conectadas para as tarefas e projetos, o momento da descontração e do humor do cotidiano presencial do trabalho encontra menos espaço em reuniões online e interações virtuais. Não há o cafezinho da copa da cozinha ou a festa de aniversário em que cada um traz um quitute. O mundo da liderança online tem que potencializar a sua inventividade e, com muita originalidade, pensar em estratégias próprias de motivação de equipes à distância.

De fato, com este mundo online, um americano na China pode fazer projetos com um brasileiro que está no México a serviço de uma multinacional italiana para um produto que será lançado na Austrália com um software americano. A noção de espaço – tão importante para a liderança – se ampliou radicalmente. Porém, a noção de tempo – que também é importante – diminuiu. Como equilibrar essas coisas? É preciso inventar! Como diz Gaston Bachelard: “é preciso pensar contra o cérebro”. 

Publicado em: Administradores.com

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Tag Cloud